SALMO 23 – NADA ME FALTARÁ!

salmo23

“O Senhor é meu pastor, e nada me faltará.” (Salmo 23.1, NVT)

Hoje vamos revisitar um velho e conhecido texto da Bíblia: o Salmo 23.

Das várias vezes que eu li este salmo, percebi que não dei a devida atenção sobre cada informação que ele nos passa depois do famoso “O Senhor é o meu pastor, e nada me faltará” (v.1).

Algumas vezes escutei pregações sobre ele e percebi um erro que alguns pregadores cometiam e que crentes repetiam; eles diziam: “olha, a Bíblia diz que nada me faltará, ou seja, não faltarão problemas, nem tribulações… nada me faltará!”.

O fato é o que o texto não diz isso. “Nada me faltará” associado a problemas não faz sentido sequer com o primeiro verso do salmo, pois ideia de Deus ser um pastor está associada a cuidado sobre nossas almas.

Diferente das cabras, por exemplo, as ovelhas dependem do pastor para encontrar pastagens e água. Os pastores também procuram abrigo, prestam cuidados médicos e auxiliam no nascimento dos filhotes das ovelhas. Em resumo, as ovelhas praticamente não sobrevivem sem a ajuda do pastor.

O que o salmo está nos dizendo é sobre o cuidado de Deus acerca das várias necessidades que temos neste mundo. Quando Davi escreve no primeiro verso “O senhor é o meu pastor”, entendemos que ele está escrevendo bem consciente do termo que usou, sob inspiração verbal do Espírito Santo, porque ele mesmo, Davi, havia sido pastor de ovelhas. “Nada me faltará” nada tem a ver com “não me faltarão problemas”, da parte de Deus. É ao contrário, Deus é solução.

O salmo por si mesmo explica a intenção do autor sagrado, pois o restante dele é uma lista de coisas que o Sumo Pastor de nossa alma faz por nós, quando temos fé na Sua Palavra, pela graça. As adversidades vêm por causa dos efeitos da maldição do pecado sobre a raça humana e por causa de Satanás. Mas, o objetivo do salmo é nos dar confiança de como Deus nos supre e nos ajuda, como um pastor de ovelhas faz.

“Ele me faz repousar em verdes pastos e me leva para junto de riachos tranquilos.” (Salmo 23.2, NVT)

A primeira coisa que acho maravilhosa na continuidade deste salmo é que, diante das necessidades que temos, Deus inicia seu cuidado nos dando descanso e suprimento. Ele nos tranquiliza e sacia a alma. Enfrentar dificuldades assim, é de uma valor inestimável e apenas os que têm o Espírito de Cristo podem se servir deste pasto e deste riacho tranquilo. Vale a pena ser discípulo, não precisamos do que o mundo oferece para relaxar e tratar do stress advindo deste mundo mal. Só precisamos ter fé, na Palavra do Senhor, nossa segurança.

“Renova minhas forças e me guia pelos caminhos da justiça; assim, ele honra o seu nome.” (Salmo 23.3, NVT)

Depois de tranquilizar e saciar é que Ele renova nossas forças, que é o sentido de “refrigera a minha alma”, nas traduções mais antigas, e nos dá direção! Aliás, o propósito de refrigerar a alma ou renovar as forças é nos conduzir no Seu Caminho. Algumas pessoas têm na Bíblia ou nos louvores apenas um lugar de alívio e depois quer conduzir a si mesmo. Isso apenas mostra sua distância de Deus. Não há como estar perto de Deus só de sentimento; é preciso obediência à Sua Palavra (Ler João 14.21).

Deus guia-nos nos caminhos justos, que sempre darão os resultados que a Providência dEle querem nos dar. É um bom pastor, que cuida. Mas, veja que Ele faz isso para a glória do Seu Nome, e precisamos aqui de muita humildade.

É preciso pedir ajuda baseado no propósito de Deus por nós. Nós não temos nada a oferecer, e no mundo isso é o fim, pois seríamos abandonados. Mas, para o Sumo Pastor de nossas almas tudo está garantido, porque Seu cuidado sobre nós é baseado nEle mesmo, na Sua bondade e nos Seus propósitos eternos. Não é baseado em nossa bondade, que não temos. Podemos estar seguros que este cuidado não vai falhar, pois é baseado nEle e na Sua vontade para cada um de nós. Se dependesse de nós, perderíamos o cuidado, porque falhamos.

“Mesmo quando eu andar pelo escuro vale da morte, não terei medo, pois tu estás ao meu lado. Tua vara e teu cajado me protegem.” (Salmo 23.4, NVT)

A pior coisa que pode acontecer com um ser humano aqui na terra, do nosso ponto de vista, é morrer. Mas, Davi nos encoraja e, já eleva sua confiança ao problema maior, e, mesmo assim ele não tem medo. O motivo: este Deus bom está ao lado, é fiel, e não arredará a Sua presença de nós, Jesus confirmou isso em Mateus 28.20.

A vara de um pastor era uma clava usada no cinto, uma arma de defesa próxima, e o cajado uma instrumento de apoio para caminhar e servia como arma nos momentos de necessidade. Também era usado para guiar e controlar as ovelhas. O que isso nos mostra? Que Deus tem toda a capacidade de cumprir o que promete e para nos defender dos males e perigo. Se Ele é capaz de fazer isso na pior situação, é capaz de fazer nas menores (logo, em todas) para a glória do Seu Nome e por Sua própria escolha soberana de nos amar; Ele nunca falha, nem nas priores crises.

“Preparas um banquete para mim na presença de meus inimigos. Unges minha cabeça com óleo; meu cálice transborda.” (Salmo 23.5, NVT)

Mas, Ele vai além. Ele mesmo providencia a solução para nossas necessidades – um banquete diante dos que nos atacam, sejam demônios, sejam pessoas (ou os dois). Deus não dará a “soluçãozinha” (que muitas vezes pedimos, mediocremente), mas nos prepará um banquete – só precisamos ter paciência e ficar debaixo do cuidado do Sumo Pastor, e desfrutaremos deste banquete, com farta solução e com reparação de toda a nossa honra diante daqueles que queriam nos atingir.

Essa honra é garantida, pois ele unge nossa cabeça, este era um sinal, no mundo antigo, que recebiam os convidados para um banquete. Um generoso anfitrião ungia a fronte do convidado com óleos finos, deixando a ambiente a pessoa com um ador agradável, como sinal de boas vindas.

Deus faz o que faz por nós com generosidade, e não com má vontade, esse acréscimo no salmo é maravilhoso para nos ensinar mais sobre o caráter de Deus.

“Certamente a bondade e o amor me seguirão todos os dias de minha vida, e viverei na casa do Senhor para sempre.” (Salmo 23.6, NVT)

Isso é claramente entendido por Davi, que encerra o salmo falando destes atributos de Deus: bondade e amor. Misericórdia. Que o seguirão – Davi não precisa ir atrás com medo de perder -. Isso dá a ele a segurança de habitar na casa do Pai, de ser bem vindo, de ser aceito, amado, apesar dos seus muitos problemas e pecados – Davi sempre deixou claro em seus salmos sua imperfeição humana. E o entendimento dele era de que isso seria garantido por todos os dias (ou enquanto viver); não por um tempo apenas.

Se você está diante de lutas, siga a caminhada mesmo em meio aos mais duros problemas e as mais duras palavras que você escute, o Senhor é seu pastor e nada lhe faltará: descanso, provisão, renovação de suas forças, direção, segurança, farta Providência, livramento de vergonha e culpa e acolhimento, todos os dias de sua vida. Parece muito? E é mesmo, porque vêm de Deus, absolutamente bom, misericordioso e bondoso.

Por isso, o salmista pode dizer de boca cheia: “O Senhor é o meu pastor, e nada me faltará”.

Creiamos nisso pela graça, por meio da fé, e fiquemos firme na Palavra diante das tribulações. Se você ainda não conhece Jesus, clique aqui.

Em Cristo,

Pr. Leandro Hüttl Dias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: