Vivendo num mundo sem ética

Enquanto vivemos neste mundo precisamos ser sábios. Prudente como as serpentes e símplices como as pombas (MT 10:16).
Uma das coisas que este mundo vai tentar colocar na nossa cabeça é que é impossível ser ético, portanto todos nós temos que dar nossos jeitinho e colecionar nossos segredos – este é o jogo.
Sabe, a melhor maneira de enganar as pessoas é com meias verdades, pois isso causa confusão, e este é o jogo preferido de Satanás. De fato não é possível ser plenamente ético neste mundo, qualquer pessoa que deseje ser sincera terá que admitir isso (pelo menos estará sendo ética até este ponto). Então, até esta parte o mundo está com a razão. O problema é o que vem depois do “portanto”. Portanto… “todos nós temos que dar nossos jeitinho e colecionar nossos segredos”. Como se os olhos do Senhor não estivessem atentos ao que ocorre depois do “portanto”, e Ele não fosse julgar essas coisas também.
Mas, dizia eu, a meia verdade é a arma favorita do diabo, o causar confusão – ele usou desse expediente com Eva no Éden, causando a Queda da humanidade (GN 3:1-5). Diferente do que Deus disse ao profeta Samuel para fazer, quando a verdade colocaria em risco a vida dele (1SM 16:1-3), Deus não disse para mentir, nem para dizer uma parte da verdade. Ele disse a verdade ao ser perguntado sobre o propósito de sua presença, mas não deu satisfação de tudo o que Deus falou ao seu coração (obs: do que Deus falou ao seu coração e não de intentos do seu próprio coração, que fique bem dito). Vejo nisso a unidade com Mateus 10:16 acima, o profeta foi prudente, mas também inofensivo. O que aprendo aqui é que a Bíblia preserva a ética de capa a capa, entretanto Deus é soberano para fazer com que possamos viver de maneira ética sem o “portanto” do mundo.
Jesus disse: “Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus” – Mateus 5:20.

Temos que ser éticos, isso não é uma opção. Mas, de fato não somos a melhor espécie para se confiar integralmente, pois somos pecadores. Aqui entra a diferença (ML 3:18), aqui entra a fé, a qual muitos fanáticos deste século acham que existe para fazer espetáculos e atender ao desejo dos homens. 
“Alcançando o fim da vossa fé, a salvação das vossas almas” – 1 Pedro 1:9.
Pedro também diz que nossa salvação está, pela fé, guardada pelo poder de Deus (1PE 1:5). Portanto, é possível ao salvo ser ético. O nosso “portanto” é diferente do mundo. Deus nos dá graça para a verdade completa. O caminho é buscar a Deus e conformar-se com a vontade divina, que sempre conduz ao melhor (JR 29:11; RM 12:2).
Acerca das Palavras de Jesus em Mateus 5:20 acima, de que a nossa justiça deveria exceder a dos escribas e fariseus, John MacArthur, em sua Bíblia de Estudo, comenta: “O farisaísmo tinha uma tendência de suavizar as exigências da lei ao concentrar-se apenas na obediência exterior. Nos versículos que se seguem, porém, Jesus mostra que a justiça à qual a lei chama de fato envolve uma conformidade interior ao espírito da lei, em vez de simples concordância exterior com a letra”, isso significa que não adianta apenas praticar. Por exemplo, uma pessoa pode ser totalmente honesta com o Receita Federal, pagando todos os seus impostos em dia, porém, se esse dinheiro vem de fins escusos, por óbvio a pessoa está errada; para a Receita ela é uma boa pagadora, mas o “como” ela fez isso – a ética – é errado.
Jesus disse, no meu entendimento, que devemos ser mais justos do que os grupos religiosos dos escribas e fariseus, ou seja, não recorrer a nós mesmos para tentar viver a justiça, mas reconhecer que de nós nada bom pode vir (MC 7:21-22; IS 64:6) e buscar a Sua graça para conseguir fazer e viver o que é certo. Isso é um processo. Há 300 anos atrás, sobre esta mesma passagem de Mt 5:20, Matthew Henry disse que devemos negar a nós mesmos confiar somente na justiça de Cristo!
Resumindo, a questão não está ligada diretamente (embora passe por) a “fazer ou não fazer” (pensamento dos escribas e fariseus), mas a “como” conseguir cumprir o que é correto. Devemos buscar sabedoria, graça; devemos buscar ao Senhor. Fazer como Samuel fez e sermos sinceros e honestos com Deus quando estivermos diante de um conflito ético – e serão muitos para os servos fiéis – e que não conseguimos fazer, porém não queremos nos envolver com aquilo. O mundo usa a incapacidade de justiça humana para tentar validar a vasão que dão ao pecado; o salvo buscar a justiça de Deus e nEle sempre terá um escape, uma vitória, um conforto pelo Espírito Santo. 
Assim é o caminho que a Bíblia nos mostra para essa realidade que encaramos neste mundo mau. 
E você, como percebe essa situação? Tem alguma experiência prática para contar? Deixe seu comentário abaixo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: