ESPIRITUALIDADE E CASAMENTO

Espiritualidade é quando rompemos com o natural, o material, os sentidos, o intelectual e o emocional e transcendemos, entendendo que matéria, sentidos, razão e emoção são limitados. Na verdade, nossa vida está além daquilo que percebemos pelos sentidos, tocamos, entendemos ou sentimos. Conquanto rompamos, isso não implica que anulemos o natural, na verdade este é afetado por aquele; é o que acontece no rompimento.

Temos na Bíblia exemplos de tal verdade: 
MT 17:3 – Jesus falando com Moisés e Elias acerca de uma realidade espiritual que estava regendo acontecimentos no mundo natural. 
LC 22:31-32 – Jesus diz que Satanás quis peneirar Pedro, mas Ele orou por este (prova de que nossas orações podem estar nestes bastidores espirituais e fazer toda a diferença). 
2 Reis 6:17 – O profeta Eliseu pede para Deus abrir a visão espiritual do seu assistente, frente a uma dificuldade no natural.
Mais sobre o assunto também pode ser visto em Jó 1 e Daniel  10; além de outras passagens.
Em Efésios temos um exemplo deste irromper do sobrenatural no natural. A partir do capítulo 5, Paulo começa a dar direções sobre a vida humana, em várias esferas. Ele vem tratando sobre os papéis do marido e da esposa, dos pais, dos filhos, modo de proceder socialmente, profissionalmente…  porém em Ef 6:10 ele para o seu discurso e diz: 
EFÉSIOS 6

10 Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder.
11 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo;
12 porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.
13 Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.

Algumas traduções iniciam o v. 10 assim: “Finalmente…”.
Ou seja: façam tudo o que cabe a vocês fazerem para viver, mas, por fim, finalmente, além disso, saibam que há uma realidade espiritual que não pode ser vista, porém igualmente não pode ser desprezada na existência de vocês. A vida de um casal não é só uma boa consciência de seus papéis (embora sejam IMPORTANTES, tanto que foram parar nas páginas da Bíblia), há mais coisas para lidarmos, e o uso da fé, a certeza do transcendente, não é apenas para a salvação. Quando refiro-me a “fé apenas para a salvação” não estou usando num sentido reducionista, simplesmente não estou limitando-a.
Penso ser interessante, ainda, que essa passagem que revela mais do mundo espiritual e do nosso relacionamento com tal realidade, apareça num contexto tão próximo sobre o assunto família e relacionamentos.
O comentarista bíblico William MacDonald diz o seguinte acerca desse trecho das Escrituras: 
Paulo está chegando ao fim de sua epístola. Agora ele faz um apelo emocionado a toda a família de Deus como soldados de Cristo. Todo verdadeiro filho de Deus aprende depressa que a vida cristã é uma guerra. As hostes de Satanás tentam impedir e obstruir a obra de Cristo e querem colocar cada crente fora do combate. […] Portanto, a primeira admoestação é que devemos ser sempre fortalecidos no Senhor e nos abundantes recursos da Sua força. Os melhores soldados são os que estão cientes da sua própria fraqueza e ineficácia e, por isso, se apoiam somente nEle¹. 
Eu não estou propondo que você passe o dia gritando com o demônio. Mas estou afirmando que não podemos desprezar a situação. É claro que quem está em Cristo foi unido com Ele e goza das mesmas prerrogativas que Ele tem. Strong, em sua Teologia Sistemática, diz o seguinte: “A união com Cristo dá àquele que crê a posição legal e os direitos de Cristo” ². Isso envolve, para nós, proteção e autoridade espiritual. 1 João 5:18 diz: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca.” 
Porém se Cristo encarnado foi tentado, você também será, e isso tem implicações no natural, e, no assunto em comento, isso pode tanger o seu casamento. E as tentações serão para valer. O maligno não pode nos tocar, porém vai tentar nos fazer cair.
A Bíblia de Estudo de Genebra comenta o seguinte sobre o v.10: “As forças das trevas estão derrotadas, mas ainda podem nos causar dano”³. Por isso precisamos continuar confiando somente na força do poder de Deus sempre que identificarmos essa ocorrência em alguma área da vida. Entretanto, precisamos andar em santidade, para andar com Ele. Ele não anda fora da luz. 
São forças que nós não vemos, mas Deus vê e nos dá uma revelação sobre isso. A Sua Palavra, a Bíblia, não revela só Deus, ela nos revela ESPIRITUALIDADE também. Novamente, por “só” não utilizo a expressão no sentido reducionista; apenas, não limito.
A Bíblia não divide a vida matrimonial da vida cristã, como se a vida cristã fosse algo isolado. A família faz parte da vida cristã, o casamento é parte da sua vida com Jesus, tal experiência humana chega a ser comparada com nossa relação com o SENHOR. É forte demais, a linguagem usada para as coisas espirituais do Reino da Luz é: casamento e família. 
E, quanto a não separação da vida espiritual e natural, saiba que o reino das trevas também não separa isso na hora de trabalhar nas vidas humanas. Mas nem Deus, aleluia! 
O casamento de um homem e uma mulher que são convertidos ao Evangelho de Jesus Cristo, tem todas as chances de ser bem sucedido diante das batalhas. Casais que vençam desafios, e não desafios que destruam casamentos. 
Se ambos arrependeram-se por seus pecados cometidos contra Deus, podem agora arrependerem-se dos seus erros e pecados cometidos dentro do casamento. Assim começa o trabalho de espiritualidade num matrimônio. Seguido por uma busca de Jesus, do Espírito Santo e da Palavra. Portanto, não é só guerrear, mas desfrutar de bençãos espirituais no matrimônio, gerando reflexo na família.
Urge entendermos que temos que aplicar o Evangelho a todas as áreas da nossa vida, porque o pecado, a influência do mundo e o diabo aplicam-se a todas elas também, em função da Queda.
Bom, tudo isso é muito bom e bonito, mas precisa ser transformado em prática. Homem e mulher têm cada um a sua parte no empreendimento “espiritualidade e casamento”, o que exige humildade diante de Deus. 
Entretanto, para encerrar, quero dar uma ‘cutucada’ nos homens. Para se chegar ao sucesso de qualquer projeto, é necessário que se trabalhe o cabeça de uma instituição, assim é numa empresa, numa ONG, numa igreja. A família é uma instituição e o cabeça é o homem. O trabalho, na prática (essa busca pela espiritualidade), começa com o homem; entrementes, isso é assunto para uma outra conversa.
Graça e paz!
Leandro Hüttl Dias
Referências:

¹ MACDONALD, William. Comentário Bíblico Popular – Novo Testamento. São Paulo: Mundo Cristão, 2008, p. 651.
² STRONG, Augustus Hopkins. Teologia sistemática – volume 2. São Paulo: Hagnos, 2003, p.512.
³ BÍBLIA DE GENEBRA. São Paulo e Barueri: Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil , 1999, p.1409.

Artigo publicado no portal www.batistas.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: