Santidade. Mais uma contribuição ao alvo.

Temos que viver em santidade neste mundo, mas não conseguimos por nós mesmo. Mas, Deus, rico em misericórdia e em firmeza para nos corrigir e nos colocar em passos santos, pelo amor e pela graça, como Pai, conselheiro e amigo, orienta e provê saída e a solução.

 “Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a natureza humana deles, junto com todas as paixões e desejos dessa natureza.” GL 5:24

Os Cristãos precisam viver com vitória sobre o pecado. E precisam aprender de vez a lutar contra isso. E entender que não há grau de bacharel em santidade, ou seja, você não se esforça por um tempo para atingir um conhecimento e uma meta, depois se gradua numa noite, e nunca mais precisa passar por aquela etapa novamente, tendo um diploma na parede e um título para o resto da vida.
É claro que as coisas melhoram com o tempo de luta contra o pecado, mas você precisa entender que a vida espiritual não é como descrito acima, ela está mais ligada e comparada à alimentação e exercícios, do que ao estudo acadêmico. Eu não estou dizendo que o estudo acadêmico não tenha lugar, eu não teria me formado em teologia se pensasse assim. O estudo é INDISPENSÁVEL para esclarecer os conteúdos da fé cristã, a fim de vivermos de maneira clara, mais assertiva (sobretudo para não viver em engodos e heresias dos “apóstolos, patriarcas e ‘paipóstolos’” modernos). O entendimento se dá com o estudo. E a vivência com alimentação e exercício espirituais. Tenha estas duas circunstâncias na sua vida cristã e você será feliz, mesmo em meio às guerras.
Vamos entender que todos os dias você se alimenta da Palavra, todos os dias luta contra o pecado, em menor ou maior nível, dependendo do ponto da caminhada cristã, dos desafios, circunstâncias, história de vida, histórico da família em situações sociais e espirituais e outros fatores… Portanto, é variável, pode mudar o jeito e intensidade de indivíduo para indivíduo, mas TODOS lutam com o pecado que se manifesta.
Vamos reconhecer também que um dos campos mais férteis para fomentar o pecado do coração é a mente, os sentimentos, a imaginação, a nossa alma. Vamos falar disso.
Algumas pessoas pensam que o pecado está no corpo humano. Na verdade o pecado tangeu todo o ser: corpo, alma e espírito; manchou cada pessoa por inteiro.
Para lidar com as imaginações, é necessário colocar a alma na Cruz. A alma de Jesus estava lá, Ele foi corpo, alma e espírito para a Cruz (e sem pecado), mas o fez para termos um lugar para colocarmos nossos pecados de todas as dimensões, para fazer enfermar e morrer as nossas imaginações pecaminosas, e nossas transgressões.
Jesus também morreu pelos pecados da alma, na imaginação, sabemos que Ele morreu pelas coisas praticadas, mas pelas paixões e desejos ocultos também. A cruz é para todo o ser, a Cruz é para a alma também.
“E quem não toma a sua cruz e vem após mim não é digno de mim.” Mateus 10:38

Nós temos que confessar e deixar o pecado e é aqui que deixamos o pecado: na Cruz de Jesus porque por nós mesmos não conseguimos. Ele fez uma grande obra para nós desfrutarmos dela, não apenas em bênçãos, mas também em santidade. Você é alguém abençoado e morto para o pecado: esta é a mensagem de Deus.
E cruz é lugar de morte.
Cruz é abrir mão de si mesmo, da sua vontade, foi o que Cristo fez no Getsêmani, isto é um estágio “pré-Cruz”. E você precisa ter este encontro com o Pai, num Getsêmani pessoal, para cada ato da natureza humana que lhe assola, das paixões e desejos que for colocar na Cruz. Você precisa dialogar com Deus, ser sincero com Ele cada vez que precisar ir à Cruz.
Carregar sua Cruz é carregar seu compromisso com Deus, é carregar sua morte para o pecado para onde quer que você vá. Devemos colocar o amor e alegria entre nossos relacionamentos, mas também devemos colocar a cruz no lidar com as pessoas.
Não quer dizer ser uma pessoa triste, carrancuda… nada disso. Jamais coloque as coisas erradas na cruz. Case o fruto do Espírito e a Cruz e você será um cristão.
 “Quem comer a minha carne e beber o meu sangue permanece em mim, e eu, nele.  Assim como o Pai, que vive, me enviou, e igualmente eu vivo pelo Pai, também quem de mim se alimenta por mim viverá”. JO 6:56-57

O que significa: “Todo aquele que participa da minha morte, que a absorve, permanece em Mim e eu nele”.
A alimentação é para produzir. Assim, nos alimentamos da morte de Jesus (a cruz) para que se produza a morte do nosso pecado.
Certamente Cristo é um alimento melhor que o pecado: a lascívia, a ira, a inveja e outras coisas mais. E devemos considerar que mudando a alimentação, mudamos os resultados diante dos desafios. Pois as obras da carne produzem morte, segundo o Cânon, e a vida no Espírito, que inclui a carnalidade morta, trás vida eterna.
Se eu me alimentar do mal, produzirei o que diante da provação?
Por fim, se você morrer com Cristo, lembre-se que a morte dEle é diferente, pois é seguida da Ressurreição, então certamente Deus lhe trará este gozo e vitória todos os dias, se todos os dias você morrer para o mundo.
Só uma parada para reflexão, e orientações bíblicas, sobre a santidade exigida todos os dias. Siga em frente.

Um comentário em “Santidade. Mais uma contribuição ao alvo.

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: